sábado, 30 de junho de 2012

LINDA BATISTA canta LUPICÍNIO RODRIGUES




Lupicínio Rodrigues deixou uma bonita e vasta obra que foi gravada pelos maiores cantores de seu tempo, imortalizando-as.
Em Linda Batista o compositor encontrou não só uma boa cantora, mas, uma excelente intérprete, que ao cantar parecia estar contando suas dores.
Assim, Linda registrou algumas músicas de Lupicínio, deixando todas bem gravadas em nossa memória afetiva.
Ainda hoje, todas mexem com a gente.


VINGANÇA




Belo e dramático samba canção que já chegou arrebatando a atenção e os corações de quem o ouvia. Linda Batista a interpretou como ninguém, com sua voz marcante. O pesquisador Ricardo Cravo Albin afirma que o sucesso foi tanto que várias pessoas, ao se suicidarem, o faziam ouvindo Vingança; fora as que choravam suas dores de cotovelos nos bares ou sozinhas em suas casas.

O acompanhamento foi feito por conjunto. Disco RCA Victor 80-0802-A, matriz S-092961. Foi gravado em 29 de maio de 1951 e lançado em agosto.

Abaixo você confere dois vídeos de Linda Batista cantando Vingança. O primeiro de 1976 e o segundo, de 1983:





Eu gostei tanto
Tanto, quando me contaram
Que lhe encontraram
chorando e bebendo
na mesa de um bar
E que quando 
os amigos do peito
por mim perguntaram
Um soluço cortou sua voz
não lhe deixou falar

Ai, mas, eu gostei tanto
Tanto, quando me contaram
Que tive mesmo
que fazer esforço
pra ninguém notar

O remorso talvez seja a causa
do seu desespero
Você deve estar bem consciente 
do que praticou
Ai, me fazer passar essa vergonha
com um companheiro
E a vergonha
é a herança maior
que meu pai me deixou
Mas, enquanto houver força
em meu peito
eu não quero mais nada
Só vingança
Vingança, vingança
aos Santos clamar
Você há de rolar como as pedras
que rolam na estrada
sem ter nunca um cantinho de seu
pra poder descansar.



DONA DIVERGÊNCIA

Samba canção em parceria com Felisberto Martins.
Era o lado B de Vingança.
Disco RCA Victor 80-0802-B, matriz S-092962
Gravado em 29 de maio de 1951 e lançado em agosto.

Linda Batista cantando Dona Divergência em 1976:




Oh, Deus
Se Tens poderes sobre a terra
deves dar fim a esta guerra
e os desgostos que ela traz
Derrame a harmonia sobre os lares
Ponha tudo em seus lugares
com o balsamo da paz
Deves encher de flores o caminhos
mais canto entre os passarinhos
Na vida, maior prazer.
E assim, a humanidade
seria mais forte
Ainda teria outra sorte
Outra vontade de viver

Não vá com o teu julgar
que a guerra que estou falando
é onde estão se encontrando
tanques, fuzis e canhões
Refiro-me à grande luta
em que a humanidade
em busca da felicidade
combate pior que leões.
Aonde a Dona Divergência
com o seu archote
espalha os raios da morte
a destruir os casais
E eu combatente atingido
sou qual um país vencido
que não se organiza mais.







MIGALHAS


Samba canção em parceria com Felisberto Martins
Gravado em 03 de julho de 1950 e lançado em setembro.
Disco RCA Victor 80-0689-A, matriz S-092701
Acompanhamento de Regional


Quando amanheço
sem pão e sem trabalho
vendo no meu agasalho
os remendos de outra cor
Nervosa, sento na ponta da mesa
quase a morrer de tristeza
a pensar no teu amor
Eu, ao teu lado,
tive fartura e carinho
cantei qual um passarinho
nos galhos do paraíso
Tive na vida um eterno sorriso
infelizmente não quis
Para tornar-te perdido
e eu uma infeliz.


Às vezes no auge da aflição
lembro de tua casa
não pra pedir-te perdão
Pois não é justo
que eu queira ser perdoada
sabendo ser a culpada
de toda a nossa questão
solidão
quase me leva a loucura
de procurar a fartura
que eu deixei no teu lar
Mas a chorar,
vejo na minha tristeza
que não mereço as migalhas
que caem da tua mesa.





FOI ASSIM



Samba canção gravado em 20 de fevereiro de 1952 e lançado em abril
Disco RCA Victor 80-0881-A, matriz S-093193
Acompanhamento de Fafa Lemos e seu Conjunto

Foi assim
eu tinha alguém 
que comigo morava
Mas tinha um defeito
que brigava
às vezes com razão
ou sem razão
Mas, depois
encontrei uma pessoa diferente
que me tratava carinhosamente
Dizendo resolver toda a questão
Mas, não...
E depois
deixei a criatura que eu morava
por essa criatura que eu julgava
que fosse compreender todo o meu eu
Mas no fim
fiquei na mesma coisa em que estava
por que a criatura que eu sonhava
não foi aquilo que me prometeu


Será que é meu destino?
Será que é meu azar?
Mas tenho que viver brigando
Todos no mundo encontram seu par
Por que só eu vivo trocando?
Se deixo de alguém
por falta de carinho
por brigas
ou outras coisas mais
Quem aparece no meu caminho
tem os defeitos iguais.







VOLTA


Samba canção gravado em 28 de março de 1957 e lançado em junho.
Disco RCA Victor 80-1800-A, matriz 13-H2PB-0081
Acompanhamento de Orquestra

Quantas noites não durmo
a rolar-me na cama
A sentir tantas coisas
que a gente não pode explicar
quando ama
O calor das cobertas
não me aquece direito
Não há nada no mundo
que possa afastar
este frio em meu peito

Volta
vem viver outra vez ao meu lado
Não consigo dormir sem teu braço
pois meu corpo está acostumado



CALÚNIA


Samba canção em parceria com Rubens Santos
Gravado em 22 de agosto de 1958 e lançado em novembro.
Disco RCA Victor 80-2002-A, matriz 13-J2PB-0477
Acompanhamento de Orquestra

Você me acusa
mas não prova o que diz
Você me acusa
de um mal que não fiz
A calúnia é um crime
que Deus não perdoa
você vai sofrer
Aqui neste mundo
quem planta o mal
Mal só pode colher
Eu não quero vingança
Vingança é pecado
Eu não quero pecar
Só a justiça Divina
pode seu crime julgar






















Agradecimento ao Arquivo Nirez






Um comentário:

  1. Obrigada, por mais estas maravilhas!
    Ouvia-se muito, lá em casa, especialmente, Vingança...

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...