sábado, 14 de abril de 2012

EDUARDO SOUTO, 130 ANOS



Há 130 anos, no dia 14 de abril de 1882, nascia o compositor, pianista e maestro Eduardo Souto.

Eduardo Souto nasceu em São Vicente (SP) e com 11 anos foi morar no Rio de Janeiro, iniciando seus estudos musicais com o professor Darbilly. Sua primeira composição foi feita quando ele tinha 14 anos, a valsa Amorosa.

Sua grande obra seria composta em 1919, O Despertar da Montanha, um tango de salão, bem ao estilo dos compostos e tocados nos saraus da Belle Époque brasileira.

Ele fundou, em 1920, a Casa Carlos Gomes, que ficava na Rua Gonçalves Dias, onde conseguiu lançar em definitivo seu nome no meio artístico e conseguia reunir compositores e artistas para trocarem idéias e conhecerem as novidades musicais.

Criou o Grupo Eduardo Souto, tendo gravado várias músicas de sua autoria.
Fez muito sucesso com músicas para o carnaval, entre elas, Tatu subiu no pau, sucesso no carnaval de 1923, sendo também o nome de peça de teatro.

Na década de 1920, enquanto ficava cada vez mais conhecido e respeitado, suas músicas eram gravadas pelos grandes interpretes. Só na fase mecânica, que iria até 1926, ele teve sua obra gravada pelo pioneiro Bahiano, Vicente Celestino, pelo conceituado Grupo do Moringa, pela Orquestra Passos, pela Banda do Corpo de Bombeiros, Orquestra da Casa Odeon, Zaíra de Oliveira, Fernando, Arthur Castro, Frederico Rocha, fora Brandão, Amaral e Januário, importantes intérpretes de uma época rica em um país que os iria esquecer.

Com o advento da gravação elétrica, novos talentos como Francisco Alves, Aracy Côrtes, Gastão Formenti, Zaíra Cavalcanti, Alda Verona e Jayme Vogeler se encarregariam de divulgar suas composições.

Ele idealizou o Coral Brasileiro, que trazia as excelentes sopranos Zaíra de Oliveira e Bidu Sayão, como também, Nascimento Silva.

Seu filho, Nelson Souto, viria a ser pianista e seu neto, Eduardo Souto Neto, compositor, pianista e arranjador.

Eduardo Souto faleceu no Rio de Janeiro, em 18 de agosto de 1942.


Confiram algumas músicas de sua autoria, gravadas ainda na fase mecânica:


Caboclo Magoado 
Cateretê paulista gravado pelo Bahiano
Disco Odeon Record 121.999, gravado em 1921.




No Rancho
Cateretê gravado pelo Grupo do Moringa
Disco Odeon Record 121.992, gravado em 1921.




Ideal de Caboclo
Canção sertaneja gravada por Vicente Celestino
Disco Odeon Record 122.040, gravado em 1922.




O Carnaval
Fox-trot gravado pelo Grupo Eduardo Souto
Disco Odeon Record 122.121, gravado em 1922.




Eu só quero é beliscar
Cateretê gravado pelo Bahiano
Disco Odeon Record 122.127, gravado em 1922.




Tatu subiu no pau
Marcha carnavalesca gravada pela Orquestra Eduardo Souto
Disco Odeon Record 122.325, lançado em 1923.




Só teu amor
Marcha carnavalesca gravada pela Orquestra Eduardo Souto
Disco Odeon Record 122.326, lançado em 1923.




Tatu subiu no pau 
Marcha carnavalesca gravada pelo Bahiano
Disco Odeon Record 122.333, lançado em 1923.




Só teu amor
Marcha carnavalesca gravada pelo Bahiano
Disco Odeon Record  122.334, lançado em 1923.




O bicho falou
Samba carnavalesco gravado por Arthur Castro
Acompanhamento da Orquestra Pan American do Cassino Copacabana
Disco Odeon Record 123.158, gravado em 1926 e lançado em novembro desse mesmo ano.




Eu só quero é conhecer
Cateretê carnavalesco gravado por Zaíra de Oliveira e Bahiano
Disco Odeon Record 122.799, lançado em 1925.




O Violeiro
Cantiga gravada pelo Fernando
Acompanhamento do jazz Band Sul Americano de Romeu Silva
Disco Odeon Record 123.011, gravado em 1926 e lançado em novembro desse mesmo ano









Fontes:
Arquivo Nirez
Dicionário Cravo Albin da Música Popular Brasileira






Um comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...